Covid: com 17% do DF vacinado com a bivalente, capital tem a 2ª maior adesão ao imunizante no país

A Secretaria de Saude do Distrito Federal informou que a meta para a cobertura da vacina bivalente é alcançar 90% do público-alvo.

Considerando dados do Ministério da Saúde, atualizados na noite da última terça-feira (20/6), o Distrito Federal tem apenas 17,39% de cobertura com a vacina bivalente contra a Covid. Apesar de considerada baixa, a porcentagem coloca o DF como a 2ª unidade da Federação com a maior aplicação do imunizante, ficando atrás somente de São Paulo, que registra 18,46%.

Segundo o ministério, a capital federal aplicou 455.652 doses da vacina bivalente, que está disponível para maiores de idade desde abril deste ano. Questionada, na tarde dessa quarta-feira (21/6), a Secretaria de Saúde do DF (SES-DF) informou que a meta é alcançar 90% do público-alvo, ou seja, a população acima de 18 anos.

“A pasta informa que em 2023 já foram mais de 1,3 milhão de doses aplicadas no DF, envolvendo tanto as vacinas previstas no calendário de rotina quanto as campanhas contra a Covid-19 e a influenza”, afirmou a SES-DF.

A secretaria ressaltou que a vacinação no DF ocorre todos os dias úteis em mais de 100 unidades básicas de saúde. Além disso, o órgão busca outras estratégias para ampliar a cobertura vacinal, com “ações extra-muros” realizadas em escolas, universidades, shoppings, zoológico, mercados, feiras, igrejas e instituições de longa permanência.

Renato Kfouri, vice-presidente da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), explica que a baixa adesão pela vacina bivalente é um problema que atinge vários países pelo mundo. “Hoje as vacinas estão sobrando nos postos. A busca está realmente muito baixa devido a vários fatores, o principal deles é a percepção de risco. A doença, hoje, não tem o mesmo risco que tinha no passado, as pessoas não se sentem tão ameaçadas e, com isso, buscam com menos frequência a proteção contra a Covid”, conta Kfouri.

O imunologista reforça que as campanhas de incentivo à imunização precisam ser melhores veiculadas, mostrando a importância dessas vacinas em recuperar a proteção daqueles que já tem mais de quatro meses da última dose.

“Têm estados que trabalham melhor a sua campanha de divulgação, que têm um sistema de registro melhor e, consequentemente, notificam melhor as doses aplicadas. Então, há muitas diferenças entre os estados do Brasil nessas taxas de cobertura vacinal. Mesmo nos estados com uma cobertura um pouco melhor ainda assim há muito o que se melhorar, muito o que se trabalhar para que a gente consiga realmente atingir e ter satisfatórios de proteção”, afirma.

Bivalente no DF

A Secretaria de Saúde do Distrito Federal (SES/DF) iniciou a aplicação da dose de reforço bivalente contra a Covid-19 para toda a população acima de 18 anos no dia 25 de abril. A lista com os postos que terão a vacina disponível será atualizada no site da secretaria.

Segundo o Ministério da Saúde, a nova dose estará disponível para quem já completou o esquema primário com duas doses (no caso de quem recebeu Pfizer, Coronavac ou AstraZeneca, ou dose única, no caso da Janssen) e teve o primeiro reforço há, no mínimo, quatro meses.

A iniciativa faz parte da nova fase do Movimento Nacional pela Vacinação, promovido pelo ministério para aumentar as coberturas vacinais no país.

O ministério ressalta que quem não completou o esquema vacinal também pode procurar os postos de saúde para atualizar a caderneta de vacinação. “A ciência voltou, e precisamos retomar a confiança da população nas vacinas, é uma missão de todos nós”, destacou Nísia Trindade, ministra da Saúde.

Fonte: Metrópoles

About equipemc

Check Also

Haddad quer união internacional para taxar super-ricos

Proposta foi defendida em reunião de ministros de Finanças do G20 O ministro da Fazenda, …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *