Campanha da fraternidade 2023: ‘aumento da insegurança alimentar não pode ser menosprezado’, diz CNBB

Tema deste ano é “Fraternidade e Fome”. Em mensagem aos fiéis do Brasil, Papa Francisco diz que ‘partilha deve ser atitude constante de todos’.

Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) lançou oficialmente, nesta quarta-feira (22), a Campanha da Fraternidade de 2023. O tema deste ano é “Fraternidade e Fome” e o lema bíblico “Dai-lhe vós mesmo de comer!” – extraído de Mateus 14,16.

“O aumento do número de pessoas que vivem em um nível agudo de insegurança alimentar não pode ser menosprezado. Se a fome de uma única pessoa já nos deve incomodar, como nos tornarmos indiferentes diante da fome de inúmeros irmãos e irmãs?”, questionou Dom Joel Portella Amado, secretário-geral da CNBB.

Conforme um estudo da Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional, divulgado em junho do ano passado, 33,1 milhões de pessoas não têm o que comer diariamente no país. O número é quase o dobro do contingente estimado em 2020 e representa 14 milhões de pessoas a mais passando fome no Brasil.

De acordo com a mensagem deixada pelo Papa Francisco aos fiéis brasileiros, a partilha deve se tornar uma “atitude constante”.

“Meu grande desejo que a reflexão sobre o tema da fome, proposta aos católicos brasileiros durante o tempo quaresmal que se aproxima, leve não somente a ações concretas – sem dúvida, necessárias – que venham de modo emergencial em auxilio dos irmãos mais necessitados, mas também gere em todos a consciência de que a partilha dos dons que o Senhor nos concede em sua bondade não pode restringir-se a um momento, a uma campanha, a algumas ações pontuais, mas deve ser uma atitude constante de todos nós, que nos compromete com Cristo presente em todo aquele que passa fome”, disse o Papa Francisco.

Direito do cidadão

De acordo com dom Joel, este é o terceiro ano em que a campanha da fraternidade aborda o tema. Em 1975 e 1985 a fome também foi motivo para a reflexão. Para o secretário-geral da CNBB, a diferença da campanha em 2023 é o convite para que os fiéis ajam diante do problema.

“Fazer o que for possível para que essa situação seja extinta, ainda que tenhamos que dar o primeiro passo. Precisamos pensar na falta de caridade e insensibilidade diante da dor. A solidariedade começa com posturas muito simples”, diz o secretário-geral da CNBB.

Dom Joel incentiva ainda que os fiéis evitem o desperdício e reforça que a alimentação saudável é um direito. “Segurança alimentar e democracia andam juntas”, aponta o bispo.

O que é a Campanha da Fraternidade?

A Campanha da Fraternidade surgiu em 1964 como uma proposta da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) à igreja Católica para celebrar a Quaresma. Além das orações e do jejum, o objetivo é “exercitar a caridade associada à reflexão e ação sobre um tema específico”.

Em 1964, o primeiro tema da Campanha da Fraternidade foi “Igreja em Renovação”. Depois, a cada ano, um novo assunto ligado foi designado para que os católicos pensassem e agissem.

Partilha, reconciliação, saúde, trabalho, justiça, família, esperança e até tráfico humano já foram tema. Em 2022, a educação pautou as reflexões.

Fonte: G1 DF

About equipemc

Check Also

Flávio Dino reitera compromisso de atuar com imparcialidade no STF

Ele chega ao Supremo aos 55 anos e pode permanecer por 20 anos O ministro …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *