Da agricultura local para as mesas e lares de mães do DF

Com edição especial do Dia das Mães, Feira Rural no Parque da Cidade expôs presentes exclusivos, como flores, plantas ornamentais e artesanato produzido no Distrito Federal.

Flores ornamentais, plantas, café orgânico, pimentas, diversos tipos de mel e artesanato eram alguns dos produtos expostos, neste domingo (8), na Feira Rural no Parque. Opções de mimos para o Dia das Mães, cultivados por pequenos e médios agricultores do DF, sob supervisão da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Distrito Federal (Emater-DF).

O casal Fernando Silva, 71 anos, e Dália Barros, 70, comprou sucos de maracujá e goiaba, degustados na hora | Fotos: Paulo H. Carvalho / Agência Brasília

Pessoas que aproveitavam o domingo de sol no Parque da Cidade pararam na feirinha para conferir. O casal Dália Barros, 70 anos, e Fernando Silva, 71, comprou sucos de maracujá e goiaba, degustados na hora. E ele ainda adquiriu um vaso com rosas, como parte do presente para a esposa e mãe de seus filhos. Tais rosas, as orquídeas e as samambaias, além de plantas medicinais, são plantadas em Samambaia pela pequena produtora Leila Gomes.

A cada 15 dias, a produtora Leila Gomes leva suas flores e plantas medicinais para serem comercializadas na Feira Rural no Parque

Moradora da Asa Sul, Dália já havia visitado a feira uma vez e diz gostar muito das frutas orgânicas, do café, entre outros. “Uma pena que não tem todo domingo, pois gostamos muito daqui e só comemos alimentos naturais. Além disso, acho importantíssimo apoiar os agricultores de Brasília que fazem um belo trabalho”, ressalta a senhora.

Leila, a cada 15 dias, está no parque vendendo vasos de plantas que começou a produzir há 20 anos com as orientações da Emater. “É um espaço muito legal para nós, produtores, pois aqui temos um público diferente do que normalmente compra em nossas cidades. Além de ser uma forma de divulgar nosso trabalho”, explica.

Apicultor, Anderson Vieira produz no Gama vários tipos de mel: “Vemos um público que procura um mel de origem reconhecida, que é do produtor rural aqui de Brasília mesmo, em vez de só comprar nos supermercados”

Já o apicultor Anderson Vieira produz no Gama mel de diversas floradas, como de aroeira, de cipó-uva – espécie muito encontrada no cerrado – além do tradicional. E lembra que o cliente espera uma qualidade melhor nos itens vendidos na feira. “Vemos um público que procura um mel de origem reconhecida, que é do produtor rural aqui de Brasília mesmo, em vez de só comprar nos supermercados”, diz. Até dois tipos de aguardente de mel estavam à venda na sua barraca.

Contato direto

A Emater promove a exposição a cada 15 dias no estacionamento 10 do parque. Cerca de 40 agricultores estão cadastrados para participar. Trata-se de uma forma de incentivar a população a conhecer a produção colhida de terras candangas. “Aqui, proporcionamos o diálogo do produtor local diretamente com o consumidor. E estamos trabalhando para trazer cada vez mais agricultores de todo DF” afirma o gerente de comercialização rural da Emater-DF, Blaiton Carvalho.

“O Parque da Cidade, por exemplo, é um local de várias ‘tribos’: esportistas, famílias que buscam o lazer, turistas. E a feirinha é um espaço onde eles podem adquirir alimentos de qualidade e genuínos do DF”, finaliza.

Fonte: Agência Brasília

Check Also

Congresso prorroga funcionamento de autarquia que regula LGPD

Cabe à Autoridade Nacional de Proteção de Dados editar normas e fiscalizar a proteção de dados …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.