Vacina bivalente contra Covid-19 será oferecida em 84 pontos a partir de segunda (27) no DF; saiba locais e quem pode se vacinar

Secretaria de Saúde recebeu mais de 181 mil doses do imunizante. Vacina protege contra cepa original do coronavírus e subvariantes ômicron.

A campanha de vacinação contra a Covid-19 com a versão bivalente da vacina da Pfizer começa nesta segunda-feira (27), no Distrito Federal. O imunizante será oferecido em 84 unidades básicas de saúde (UBSs), das 8h às 17h, e também no drive-thru montado em frente à UBS 1 da Asa Sul, na SGAS 612, com atendimento das 18h às 22h.

A primeira fase da vacinação com a Pfizer bivalente será exclusiva para:

  • Quem tem 70 anos ou mais
  • Pessoas em instituições de longa permanência a partir de 12 anos e os trabalhadores dessas instituições
  • Imunocomprometidos
  • Comunidades indígenas, ribeirinhos e quilombolas.

De acordo com a Secretaria de Saúde, aproximadamente 190 mil pessoas do Distrito Federal se enquadram nesses grupos. Brasília recebeu 181,4 mil doses da Pfizer bivalente na sexta-feira (24).

A Vacina foi aprovada pela Anvisa e protege contra cepa original do coronavírus e subvariantes ômicron.

Para se vacinar, é necessário levar documento de identificação e, se possível, o cartão de vacina onde constem as doses já recebidas contra a Covid-19. As pessoas imunocomprometidas precisam levar laudo ou relatório médico comprobatório de uma das condições listadas abaixo.

A Pfizer bivalente será aplicada a partir de quatro meses da segunda dose ou da última dose de reforço. Quem não tiver recebido a primeira ou a segunda dose terá que iniciar o esquema vacinal com a monovalente, também disponível em unidades da Secretaria de Saúde.

Fases

A vacinação com a bivalente será dividida em fases:

  • Segunda fase: terá como prioridade pessoas de 60 a 69 anos de idade
  • Terceira fase: incluirá gestantes e puérperas
  • Quarta fase: terá os trabalhadores da saúde, pessoas com deficiência permanente a partir dos 12 anos, população prisional, adolescentes cumprindo medidas socioeducativas e funcionários do sistema prisional e socioeducativo.
Vacinas da Pfizer monovalente e bivalente — Foto: Reprodução/Anvisa
Vacinas da Pfizer monovalente e bivalente — Foto: Reprodução/Anvisa

? O que são as vacinas bivalentes?

  • Os imunizantes foram elaborados para oferecer uma proteção extra contra a ômicron e suas subvariantes.
  • Desde o início da pandemia, o coronavírus vem sofrendo mutações (o que é normal).
  • Atualmente, a variante que domina o mundo é a ômicron, que é bem diferente do vírus original.
  • As primeiras vacinas usadas no combate à pandemia, também chamadas de “monovalentes”, fornecem menos proteção frente à variante dominante.
  • Ainda assim, as vacinas monovalentes continuam sendo eficazes contra casos graves, óbitos e hospitalizações.

? Para quem as vacinas bivalentes são indicadas? A Anvisa aprovou o imunizante para a população a partir de 12 anos de idade.

  • Elas são indicadas como dose de reforço e devem ser aplicadas a partir de três meses após a série primária de vacina ou reforço anterior.
  • Receberá o reforço com a bivalente quem já tiver concluído o esquema vacinal de duas doses com a vacina monovalente.

? Vacinas disponíveis continuam sendo importantes

  • O alerta foi voltado principalmente para os grupos de maior risco.
  • Segundo a Anvisa, “todas as vacinas de reforço?aprovadas ajudam a melhorar a proteção contra casos graves e morte por Covid-19”.
  • A Pfizer, assim como a Anvisa, reforça que a vacina monovalente original continua sendo importante instrumento no combate à Covid-19.

As pessoas imunocomprometidas precisam levar laudo ou relatório médico comprobatório de uma das seguintes condições:

  • Pessoas com imunodeficiência primária grave (erros inatos da imunidade);
  • Pacientes em quimioterapia para câncer;
  • Pacientes transplantados de órgãos sólidos ou de células tronco hematopoiéticas (TCTH) em uso de drogas imunossupressoras;
  • Pessoas vivendo com HIV/Aids;
  • Pacientes em uso de corticoides em doses ?20 mg/dia de prednisona, ou equivalente a ?14 dias;
  • Pacientes em uso de drogas modificadoras da resposta imune;
  • Pacientes com doenças autoinflamatórias ou doenças intestinais inflamatórias;
  • Pacientes em hemodiálise;
  • Pacientes com doenças imunomediadas inflamatórias crônicas.

Fonte: G1 DF

About equipemc

Check Also

Haddad quer união internacional para taxar super-ricos

Proposta foi defendida em reunião de ministros de Finanças do G20 O ministro da Fazenda, …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *