Saúde interdita pronto-socorro da ginecologia e da obstetrícia do hospital de Ceilândia, no DF, após infestação de piolho de pombo

Segundo Secretaria de Saúde, pacientes serão acolhidas em outras unidades. Pasta afirma que dedetização já está sendo realizada.

O pronto-socorro da ginecologia e obstetrícia do Hospital Regional de Ceilândia, no Distrito Federal, está fechado desde a noite desta segunda-feira (21), por causa de uma infestação de piolho de pombos. A denúncia foi feita por funcionários da unidade.

De acordo com servidores, pacientes foram realocados e quem chega está sendo orientado a procurar outros hospitais. De acordo com relatos obtidos pela TV Globo, funcionários e pacientes já foram picados pelo inseto, que podem causar sintomas de pele, similares a mordidas de formiga.

À reportagem, a Secretaria de Saúde afirmou que uma dedetização está sendo realizada nesta terça-feira (22), com a supervisão da subsecretaria de Vigilância à Saúde. A pasta, no entanto, não informou até quando o pronto-socorro vai ficar fechado.

Servidores que trabalham na unidade de saúde afirmam que o local já passou por uma dedetização recente, enquanto seguiu em funcionamento. No entanto, o problema não foi resolvido.

Outro serviço paralizado

O pronto-socorro é o segundo serviço paralizado na unidade. A Secretaria de Saúde informou, nesta segunda-feira, que as atividades no centro obstétrico do hospital estão interrompidas por dez dias para serviços de manutenção no telhado da unidade.

“As parturientes que têm sua referência no HRC deverão ser acolhidas no hospitais regionais de Brazlândia, Taguatinga, Samambaia; Hospital Materno Infantil de Brasília (HMIB) e o Hospital Universitário de Brasília (HUB)”, informou a pasta, em nota.

Ainda de acordo com a Secretaria de Saúde, assim que os serviços de manutenção forem finalizados, as atividades no centro obstétrico serão retomadas.

Fonte: G1 DF

About equipemc

Check Also

Haddad quer união internacional para taxar super-ricos

Proposta foi defendida em reunião de ministros de Finanças do G20 O ministro da Fazenda, …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *