Quem promover atos antidemocráticos será tratado como criminoso, diz Moraes

Manifestantes bolsonaristas fazem atos pedindo por intervenção militar em todo o País desde a noite de domingo, 30.

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Alexandre de Moraes, fez mais um alerta nesta quinta-feira, 3, aos apoiadores de Jair Bolsonaro (PL) que promovem atos golpistas desde a proclamação de vitória de Lula (PT) no segundo turno das eleições presidenciais. Durante sessão plenária da Justiça Eleitoral, Moraes destacou que o segundo turno “acabou democraticamente” no domingo, 30. 

“Os eleitores, em sua maioria massacrante, são democratas. Acreditam na democracia, acreditam no Estado Democrático de Direito e aceitaram democraticamente o resultado das eleições. Aqueles que criminosamente não estão aceitando, aqueles que criminosamente estão praticando atos antidemocráticos serão tratados como criminosos“, afirmou o magistrado.

Desde o fim da apuração das urnas, bolsonaristas têm bloqueado rodovias por todo o país e pedido por intervenção militar, em contestação ao resultado das eleições presidenciais. Segundo o ministro da Justiça, Anderson Torres, houve 37 prisões e 4.216 multas aplicadas a motoristas que bloqueiam rodovias federais em todo o País.

Já de acordo com a Polícia Rodoviária Federal, sete estados ainda registravam 73 bloqueios ativos até o final da manhã. Todos os números citados foram divulgados nesta quinta.

Bolsonaro faz apelo

Na quarta-feira, 2, o atual presidente publicou um vídeo no qual faz um apelo para que seus apoiadores desbloqueiem as estradas. Com traje informal, Bolsonaro lamenta a derrota nas urnas e pede que os apoiadores encerrem os bloqueios.

“Quero fazer um apelo a você: desobstrua as rodovias. Isso não faz parte, no meu entender, dessas manifestações legítimas, não vamos perder nós aqui a nossa legitimidade. Outras manifestações estão fazendo pelo Brasil todo, em praças, fazem parte do jogo democrático”, disse. 

About equipemc

Check Also

Flávio Dino reitera compromisso de atuar com imparcialidade no STF

Ele chega ao Supremo aos 55 anos e pode permanecer por 20 anos O ministro …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *