PF mira grupo suspeito de fraudes bancárias de R$ 1,9 milhão contra entidades privadas e órgãos públicos

Suspeitos roubavam dados das vítimas e realizavam transações pela internet. Agentes cumprem 13 mandados de busca e apreensão em 4 estados e no DF.

A Polícia Federal deflagrou, na manhã desta quinta-feira (16), uma operação que mira um grupo suspeito de fraudes bancárias, que somam mais de R$ 1,9 milhão, contra contas de entidades privadas e órgãos do governo. As irregularidades seriam contra o Banco do Brasil.

Os agentes cumprem 13 mandados de busca e apreensão no Distrito Federal, São Paulo, Maranhão, Piauí e Tocantins. Também são cumpridas ordens judiciais de bloqueio de bens e valores de alvos da operação, com o objetivo de recuperar o montante desviado.

Em nota, o Banco do Brasil afirmou que não há registro de invasão aos seus sistemas ligados ao casos da operação da PF (veja íntegra abaixo). De acordo com as investigações, os suspeitos obtinham os dados bancários das vítimas, inclusive de municípios, e realizavam operações pela internet, efetuando transferências eletrônicas para diversas outras contas.

Veja quantos mandados foram cumpridos em cada unidade da federação:

  • Distrito Federal: 7
  • Maranhão: 3
  • Piauí: 1
  • Tocantins: 1
  • São Paulo: 1

Até o momento, as vítimas identificadas são: dos municípios mineiros de Curral de Dentro, Jenipapo de Minas, Santa Helena de Minas, e dos tocantinense de Talismã e Tupirama.

Segundo a Polícia Federal, foram identificado acessos em contas de clientes que, até o momento, não registraram boletins de ocorrência, o que indica que o dinheiro desviado pelo grupo pode superar o valor apurado pela PF.

Os alvos são investigados por organização criminosa, furto qualificado mediante fraude em ambiente cibernético e lavagem de dinheiro.

Esta é a primeira operação da Divisão de Investigação e Operações Especiais, dentro da Coordenação Geral de Combate a Crimes Cibernéticos da Diretoria de Combate a Crimes Cibernéticos da Polícia Federal.

Veja o que diz o Banco do Brasil:

“O Banco do Brasil informa que não há registro de invasão aos seus sistemas no caso das transferências indevidas realizadas no âmbito da operação Cyber Impetum da Polícia Federal.

O Banco orienta seus clientes a manter as credenciais de acesso às contas em total segurança, além de utilizarem equipamentos confiáveis, livres de vírus e programas de captura de senhas.

A responsabilidade pela gestão e movimentação das contas dos clientes do setor público compete aos gestores e seus prepostos. O Banco do Brasil denunciou o esquema à Polícia Federal assim que detectou as fraudes e segue colaborando com as investigações policiais por meio do repasse de informações no seu âmbito de atuação”

Fonte: G1 DF

About equipemc

Check Also

Flávio Dino reitera compromisso de atuar com imparcialidade no STF

Ele chega ao Supremo aos 55 anos e pode permanecer por 20 anos O ministro …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *