quinta-feira , 13 agosto 2020
Home / Notícias > Brasília/Brasil/Mundo / Noroeste a todo vapor: Terracap retoma obras da W9

Noroeste a todo vapor: Terracap retoma obras da W9

Avenida dos Ipês vai impulsionar o desenvolvimento de toda a região. Volta dos trabalhos foi possível após acordo com indígenas

A Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal (Terracap) deu início, nesta manhã (9), à retomada das obras da via W9, futura Avenida dos Ipês, no Noroeste. A ação só foi possível graças a um acordo histórico celebrado com os indígenas que ali residem, para que fossem realocados em área próxima e tivessem novas moradias. A via W9 permitirá o tráfego de veículos entre o Setor de Transporte Norte (STN) e a DF 040, próximo ao Setor de Recreação Pública Norte (SRPN). Para preservar o Santuário dos Pajés, a via terá seu trajeto mudado.

A obra começou um dia depois de a Terracap entregar as chaves das casas provisórias (localizadas na Arie Cruls, também no Noroeste) para as  famílias das comunidades indígenas Kariri-Xocó e Tuxá. O acordo entre as comunidades, a Terracap, a Defensoria Pública do Distrito Federal, a Defensoria Pública da União, o Ministério Público Federal e a Funai foi assinado em outubro de 2019, na sede da Terracap.

O presidente da Terracap, Izidio Santos, diz que a via ficou por quase uma década impossibilitada de ser concluída. “Agora, com o esforço deste governo, a gente conseguiu viabilizar o acordo com os indígenas”, destaca. “É uma via muito importante tanto para os moradores quanto para o comércio, o setor imobiliário e os investidores. Uma das principais dentro do Setor Noroeste. Com isso, completamos um sistema viário. É a Terracap investindo em desenvolvimento”.

O diretor técnico da Terracap, Hamilton Lourenço, explica como será a obra, que terá de 500 a 600 metros de via asfáltica, além de outras benfeitorias. “A W9 deixa de ter o traçado original, que é totalmente reto, e passa a ter uma curva que vai contornar o Santuário dos Pajés. Hoje A Novacap começou a limpeza do mato e da pista que vai contornar a parte de dentro, onde fica o santuário”. Lourenço comenta que também será feita  a pavimentação, além de meios-fios, gramado e sinalização. “Enfim, vamos finalizar a tão sonhada W9”, comemora.

 “A história dessa avenida demonstra que é possível encontrar soluções para conciliar o desenvolvimento econômico da cidade com a preservação das tradições fundantes de nosso povo. É mais um dos belos ensinamentos de Brasília para o mundo”, explica o diretor de Regularização Social e Desenvolvimento Econômico, Leonardo Mundim.

Mercado Imobiliário

Além de ser uma demanda dos moradores da região, a via W9 também era um antigo anseio do mercado imobiliário, como explica Dionyzio Klavdianos, presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Distrito Federal (SindusconDF). ”Ao longo do tempo uma série de empecilhos inesperados têm dificultado a conclusão das obras de infraestrutura do setor noroeste, dentre eles a relocação da tribo indígena, que já montava de anos, é um dos mais emblemáticos. A efetivação do acordo e a transferência pacífica abre importante frente de trabalho e é mais um passo que o governo dá no sentido da valorização do centro urbano da cidade”, destaca.

Eduardo Aroreira, Associação de Empresas do Mercado Imobiliário do Distrito Federal (Ademi), explica que a desobstrução da via w9 terá alto impacto na qualidade de vida dos moradores do bairro. “A W9 foi projetada para ser a principal via do Noroeste. Uma vez aberta, naturalmente grande parte do tráfego do bairro passará por ela. Nela também se encontra a grande maioria dos empreendimentos comerciais do bairro, principalmente lojas. Essa abertura também significa o estímulo para o comércio no bairro, gerando emprego e renda para a cidade”.

Reserva Indígena Kariri-Xocó e Tuxá do Bananal-DF

O local demarcado para a construção da reserva indígena é conhecido como Arie Cruls. Na área de 14 hectares será construída, em definitivo, a Reserva Indígena Kariri-Xocó e Tuxá do Bananal-DF. A Terracap deverá implementar, no prazo de um ano, a infraestrutura da área, que inclui o sistema de abastecimento de água, esgoto e energia. Ainda serão construídas 16 unidades habitacionais, uma estrutura de guarita, um centro cultural, sete ocas pequenas, um terreiro, além de uma casa de produção de farinha para apoiar a sustentabilidade da aldeia. Todo o perímetro da reserva foi cercado pela Agência.

FONTE: Agência Brasília com informações da Terracap

Sobre N Camargo

Veja também

Soro produzido por cavalos têm anticorpos superpotentes para covid-19

Estudo mostra que soro é até 100 vezes mais potente que vírus Trabalhos iniciados em maio …

Novo bairro residencial deve abrigar 63 mil moradores

Plano de construção, elaborado pela Seduh e em parceria com o Exército e a Secretaria …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *