Moradores fazem abaixo-assinado para embargar apartamentos de luxo no Lago Sul

Caso foi parar no Ministério Público do Distrito Federal. Moradores alegam que obra tem destinação diferente do alvará e afeta meio ambiente.

Moradores da QI 21 do Lago Sul criaram um abaixo-assinado, na tentativa de para embargar a obra de um centro clínico e residencial geriátrico na quadra. O conselho comunitário do bairro afirma que a obra tem destinação diferente da prevista em alvará, e o caso foi parar no Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT).

Em denúncia enviada ao MPDFT, a associação de moradores alegou que a empresa Residencial Garden Empreendimentos Imobiliários Ltda conseguiu alvará para construir clínicas geriátricas apenas “como fachada” para erguer blocos de apartamentos de luxo. O grupo afirma se tratar de um prédio de seis andares e torres com 60 apartamentos, de 120 a 250 metros quadrados.

“Tal empreendimento não será utilizado para os fins declarados, tem potencial para ser um polo gerador de alto tráfego e colocará em risco a qualidade de vida da população local, a ordenação urbanística do Lago Sul e é potencialmente degradador do meio ambiente, já que a área é de preservação permanente (APP)”, destaca texto da denúncia.

Além disso, o Conselho Comunitário do Lago Sul argumenta que o edifício fere as normas urbanísticas do local, “projetado para ser de baixa densidade demográfica”. O projeto é denominado Vila Raiô — Residências Exclusivas.

About equipemc

Check Also

Brasil passa a exigir visto de turistas da Austrália, Canadá e dos EUA

Documento será exigido em fronteiras terrestres, portos e aeroportos Os cidadãos da Austrália, Canadá e …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *