EXPOSIÇÃO YUTAKA TOYOTA – O RITMO DO ESPAÇO

Data: De 2 de abril a 26 de maio de 2019
Hora: Terça a Domingo, das 9h às 18h30
Local: Museu Nacional da República

Sobre

Depois de experimentar grande sucesso de público no Rio de Janeiro e de ser considerada a melhor retrospectiva de 2018 em São Paulo, pela APCA, chegou a vez de Brasília receber a exposição “YUTAKA TOYOTA – O Ritmo do Espaço”, e que reúne cerca de 80 peças de um dos maiores representantes do movimento cinético internacional.

Ocupando 1.500 metros quadrados do Museu Nacional da República, a mostra que tem patrocínio da Rede D’Or São Luís acontece entre os dias 02 de abril e 26 de maio. A curadoria de Denise Mattar propõe um recorte da produção do artista com trabalhos a partir dos anos 1960 até os dias de hoje, onde um dos grandes destaques é uma recriação da instalação imersiva Quarto Escuro, da X Bienal Internacional de São Paulo. O público poderá conferir ainda nessa exposição; uma cronologia ilustrada e vasta documentação, painéis de obras públicas de sua autoria realizadas entre os anos 1980 e 2010 no Brasil e no Japão; além de esculturas recentes. Chama atenção o conjunto de 35 imagens históricas realizadas pelo grande fotógrafo Alair Gomes, que retrata parte da produção desse incrível artista nipo-brasileiro que está em atividade até os dias de hoje.

Apresentada anteriormente no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (MAM) e no Museu de Arte Brasileira (MAB FAAP), a exposição experimentou grande sucesso de público e surpreendeu a crítica, chegando à Capital Federal depois de ganhar o premio APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte) de melhor retrospectiva do ano de 2018. Entre os diversos trabalhos que compõe a mostra, estão obras pertencentes a acervos de instituições como Museu de Arte Brasileira da FAAP e Itamarati, e ainda de importantes coleções particulares.

O critério curatorial adotado por Denise Mattar para “YUTAKA TOYOTA – O Ritmo do Espaço” toma como partido a coerência interna da obra de Toyota, sua originalidade e pioneirismo, fazendo conviver trabalhos de diversas épocas ao lado de seu trabalho atual, que continua surpreendentemente intenso. A mostra não foi estruturada cronologicamente, mas organizada de modo a agrupar os trabalhos em torno de algumas questões que permeiam seis décadas de produção constante como: a vibração ótica, a surpresa da cor, o hieratismo do círculo, a vertigem do espelho, as fendas do universo e o ritmo do espaço.

Ingresso

  • Entrada franca

*Valores sujeitos à alterações sem aviso prévio.

Mais informações

  • Telefone: 3325 5220
  • Classificação: Livre
Tags

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja Também

Fechar
Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios