Emater-DF apresenta novas tecnologias na AgroBrasília

Empresa mostra novidades como energia solar aliada à produção de flores, uso de bioflocos na criação de peixes e homeopatia para galinhas

A Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Distrito Federal (Emater-DF) apresenta a partir desta terça-feira (14) na AgroBrasília uma série de tecnologias usadas na agricultura familiar para melhorar a produção de alimentos e as condições de vida dos produtores rurais. O espaço da agricultura familiar da Emater vai ter 48 mil metros quadrados divididos em 11 circuitos tecnológicos e o Galpão das Organizações Sociais.

A AgroBrasília é a maior feira de agropecuária do Centro-Oeste a uma das cinco maiores do país. O evento ocorre no Parque Ivaldo Cenci, no km 5 da BR-251, com entrada franca. A previsão é de que 120 mil pessoas passem pela feira e que sejam fechados até R$ 1,3 bilhão em negócios nos cinco dias do evento.

Uma das novidades que serão apresentadas ao público neste ano é o projeto de produção de energia fotovoltaica nas produções agrícolas. A Emater espera conseguir implantar a instalação de mais de 2 mil sistemas em um ano.

Para o produtor, a vantagem está na redução do custo da energia elétrica, um dos insumos mais caros na produção agrícola. Segundo a presidente da Emater, Denise Fonseca, essa redução pode chegar a R$ 1 mil a cada 5 hectares. Além disso, a produção de energia solar reduz a pressão sobre os reservatórios de água usados na geração de energia convencional e nos custos de transmissão.

Outra novidade é a produção de peixes em sistema de bioflocos, que permite uma produção até 30 vezes maior utilizando 20% da água de um sistema de criação intensivo tradicional e com até 30% menos ração. Neste sistema, partículas suspensas de microalgas e bactérias agregadas em restos de ração garantem uma parte dos nutrientes necessários para o desenvolvimento dos peixes e permitem que a água seja reutilizada.

Na área de avicultura, a Emater está testando a criação de galinhas caipiras com homeopatia. Os resultados indicam que as aves ficam menos propensas a doenças, os ovos ficam com cascas mas resistentes e estimulam o metabolismo das aves, fazendo com que elas se desenvolvam em menor espaço de tempo e sem consumir produtos químicos.

Neste ano, será a primeira vez que a Emater vai ter um circuito de equideocultura. No espaço, os produtores poderão aprender como fazer compostagem com os resíduos orgânicos dos cavalos, reduzindo custos e contribuindo para a preservação ambiental.

No espaço da bovinocultura, os técnicos e extensionistas da empresa vão demonstrar como o manejo adequado de forrageiras no pasto para alimentar o gado pode ser feita de modo a durar pelo menos 30 anos. Sem o manejo correto, a cada três anos é preciso fazer o replantio da forrageira.

A Emater vai ter ainda circuitos de agroecologia, floricultura, fruticultura, gestão ambiental, olericultura, saneamento rural e suinocultura (veja abaixo a relação dos circuitos e as principais novidades de cada um). A AgroBrasília funciona das 8h às 17h, com entrada franca.

Veja o que vai ter em cada circuito da Emater:

Agroecologia:

  • Manejo de Sistemas Agroflorestais;
  • Homeopatia na produção de ovos;
  • Integração da meliponicultura com a citricultura;
  • Integração de galinheiro móvel com controle de ervas espontâneas.

 Piscicultura:

  • Estruturas de produção – tanques, viveiros e revestimentos;
  • Sistemas de aeração de tanques e viveiros;
  • Sistema de Bioflocos para tilápia e camarões;
  • Aquaponia – Sistema integrado de peixes e plantas;
  • Dia Especial em Piscicultura (18/05): Manejo alimentar de tilápia.

 Gestão Ambiental:

  • Bacias hidrográficas;
  • Usos múltiplos da água na área urbana e rural;
  • Técnicas de irrigação e conservação de solo;
  • Tipos de Áreas de Proteção Permanentes;
  • Reserva Legal.

 Bovinocultura:

  • Integração lavoura-pecuária;
  • Forrageiras tropicais;
  • Ordenha e instalações.

 Olericultura:

  • Plasticultura – Estufas, túneis e mulching na produção de hortaliças;
  • Manejo de irrigação de hortaliças;
  • Manejo nutricional de folhosas.

 Suinocultura:

  • Valorização da carne suína;
  • Manejo de dejetos;
  • Alimentação alternativa (abóbora, mandioca, batata doce e hortaliças)

Saneamento:

  • Captação e reservatório de água da chuva;
  • Alternativas de tratamento de esgoto na área rural;
  • Alternativas de destinação de águas cinzas.

 Fruticultura:

  • Implementação de pomares e práticas de cultivos adensados;
  • Diversificação e renda;
  • Novidades no mercado de frutas.

 Floricultura:

  • Análise de três anos de produção de flores em Sistemas Agroflorestais;
  • Novas variedades de flores no mercado;
  • Manejo de irrigação e nutrição de plantas;
  • Energia fotovoltaica na produção de flores.

 Equideocultura:

  • Alimentação de equídeos e formação de pastagens;
  • Estruturas adequadas: cercas, abrigos e alimentação;
  • Manejo de dejetos e controle de moscas e verminoses.

 Avicultura:

  • Manejo sanitário e biossegurança em avicultura;
  • Aplicação de vacinas e medicamentos;
  • Avicultura de postura.

Galpão das Organizações Sociais

  • Artesanato;
  • Agroindústria;
  • Agroturismo;

FONTE: Agência Brasília com informações da Emater-DF

Tags

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios